Linguagem Corporal: Como Ter Status?

L

Quero Ver Os Cursos!
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 

Postura levemente ereta, peito controladamente para frente, olhar de confiança e lábios levemente esticados para cima, talvez sorridente – STATUS.

Para Hogan, os seres humanos transmitem a ideia de status por meio de diversas atitudes. A primeira e mais importante é recorrer a ampliação da altura para transmitir a ideia de superioridade. É claro que não temos o poder de crescer alguns centímetros, mas sempre é possível adotar uma postura que dê essa impressão. Outros sinais não-verbais que dão essa impressão são o toque e o posicionamento físico.

 

POSTURA

Esta é a base da impressão de altura. Quando você se mantém com costas eretas, ombros voltados para trás e cabeça erguida, seu corpo parece mais alto – algumas vezes a diferença chega a ser de alguns centímetros. É fácil de comprovar isso com a ajuda de uma parede, um lápis uma régua e uma pessoa para fazer as marcações. Encoste na parede e encontre uma postura largada, com os ombros caídos e a cabeça baixa. Peça para o ajudante fazer uma marca a lápis na parede para registrar a altura. Agora repita o processo, desta vez posicionando-se com costas retas, ombros erguidos e cabeça altiva. Observe a diferença entre as duas marcações e terá uma prova concreta de como a postura afeta a altura.

Mas espere um pouco, o que acontece com as pessoas mais baixas da média? A mudança de postura não irá aumentar a altura de forma tão significativa. Isso significa que a pessoa está destinada a ter um status menor? A resposta é NÃO. Até mesmo quem tem uma estatura menor pode transmitir uma ideia de mais status por meio da combinação de uma boa postura com outros sinais não-verbais que serão abordados nessa publicação. É possível que ela tenha que se esforçar mais para superar os estereótipos que os demais costumam formar, mas não existe nenhum motivo que impeça uma pessoa de baixa estatura transmitir uma imagem de mais status a partir da boa postura.

 

TOQUE

A maioria dos especialistas em linguagem corporal concorda que o toque pode ser usado e interpretado como sinal de status. Em geral, aquele que detém uma posição superior toma a iniciativa do contato, seja o aperto de mão, um toque nas costas ou no braço, além disso, quando outras pessoas observam uma interação como essa, a leitura que fazem é a de que quem deu o primeiro passo detém mais status. Pense um pouco nisso. Quando você observa um ambiente com muita gente, provavelmente vê diversas interações distintas acontecendo ao mesmo tempo, e começa a criar interpretações sobre o status relativo de cada um.

Aquele homem que circula pela sala, saudando a todos com um aperto de mãos e dando tapinhas nas costas dos outros parece ser alguém importante. E aquela moça que se dirige para aquele homem e o cumprimenta? Como a iniciativa é dela, está passando a impressão que tem uma posição equivalente ou superior à de quem que recebe a saudação.

 

POSICIONAMENTO

O que acontece quando um grupo entra em um ambiente e se acomoda a uma mesa? Em geral, a pessoa de maior importância opta por se acomodar na ponta, enquanto os demais se distribuem nas laterais. A cabeceira da mesa costuma ser identificada como um local reservado para quem detém mais status.

A ideia de que o lugar ocupado pode revelar a importância da pessoa se manifesta em várias situações diferentes. Em um espetáculo, por exemplo, os lugares melhores e mais caros ficam na frente, perto do palco. No estacionamento de uma empresa, as vagas reservadas para a diretoria se acham bem próximas da porta de entrada, para evitar a necessidade de passar por uma longa fila de carros. Nas monarquias a cabeceira da mesa ou a parte de frente da sala, enquanto os demais se distribuem por distâncias variadas: quanto maior o prestígio de um indivíduo, maior a proximidade com o monarca.

 


As crianças costumam perceber os sinais de importância que são transmitidos por meio do posicionamento físico. Quando os avós vêm visitar a família, é normal que os irmãos disputem para ver quem tem o direito de sentar mais perto. Quem conseguir a proeza, ganha relevância. É claro que os avós entendem que se trata de uma disputa de poder e tomam o cuidado de garantir que cada criança ocupe o lugar privilegiado por pelo menos alguns instantes.
 

Bem, é isso… 

Um grande abraço…

FONTE:
Kevin Hogan – A Linguagem Secreta dos Negócios
Eduardo-Vaz3

SOBRE O AUTOR

Eduardo Vaz
Eduardo Vaz

Bacharel em Direito, Conciliador do Tribunal de Justiça do Estado do Paraná, Hipnólogo formado por Olimar Tesser, Practitioner de Hipnose, Estudioso da Área Linguagem Corporal, Microexpressões Faciais, Leitura Fria, Mentalismo, Vidência, Membro da IFGE (The International Foundation for Gender Education), Empreendedor Digital na Área de Marketing Digital e Relações Humanas, Administrador e Colaborador do Site Body Language Brazil.

LISTA DOS TOP #5

É GRÁTIS!
Informe seu e-mail logo abaixo, junte-se aos mais de 17.216 leitores inteligentes e receba em primeira mão nossas atualizações sobre Linguagem Corporal, Hipnose e PNL!
100% Seguro e livre de SPAM

Quero Ver Os Cursos!
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 
[Grátis] Os Segredos da Confusão Hipnótica
✓  O que é Confusão Hipnótica; ✓  Tipos de Confusão Hipnótica;  ✓ Exemplos Práticos da Técnica; 
LER O PDF
CURTIU O CONTEÚDO?
SEMPRE ATUALIZADO!
Informe seu e-mail logo abaixo, junte-se aos mais de 17.216 leitores inteligentes e receba em primeira mão nossas atualizações sobre Linguagem Corporal, Hipnose e PNL!
100% Seguro e livre de SPAM
É GRÁTIS!
Informe seu e-mail logo abaixo, junte-se aos mais de 17.216 leitores inteligentes e receba em primeira mão nossas atualizações sobre Linguagem Corporal, Hipnose e PNL!
100% Seguro e livre de SPAM
SEMPRE ATUALIZADO!
Informe seu e-mail logo abaixo, junte-se aos mais de 17.216 leitores inteligentes e receba em primeira mão nossas atualizações sobre Linguagem Corporal, Hipnose e PNL!
100% Seguro e livre de SPAM