Sinais de Acesso Visual: Aprenda Uma Forma SIMPLES e FÁCIL de DETECTAR MENTIRA Apenas Pelos Olhos

Hoje gostaria de conversar com você um pouco sobre Sistemas Representacionais. E que tal aprender a ler o que a pessoa vai dizer apenas pelos Sinais de Acesso Visual ao lembrar ou criar imagens, sons, experiências…

Você pode estar se perguntando: – Edu, o que são os sistemas representacionais?

Eu te respondo dizendo o seguinte: Nós podemos nos lembrar de experiências verdadeiras passadas ou imaginar experiências futuras possíveis (ou impossíveis). Você pode se imaginar correndo para pegar um ônibus (imagem visual lembrada) ou correndo pelos canais de Marte vestido com uma fantasia de Papai Noel (imagem visual construída). A primeira terá acontecido. A segunda, não, mas você pode representar ambas.

Então, usamos nossos sistemas representacionais em tudo o que fazemos – memória, planejamento, fantasiando e na solução de problemas. Os sistemas principais são os seguintes:

  • Sistema Cinestésico;
  • Sistema Visual;
  • Sistema Auditivo;
  • Sistema Olfativo;
  • Sistema Gustativo;
  • Pistas de Acesso;

Hoje, o tema do artigo são as Pistas de Acesso…

Assim como vemos, ouvimos, sentimos sabores, tocamos e cheiramos o mundo exterior, também recriamos essas mesmas sensações em nossas mentes, re-apresentando o mundo a nós mesmos através do uso interno de nossos sentidos.

O sistema representacional que estamos usando se mostra em nossa linguagem corporal através de nossa postura, padrão de respiração, tom de voz e movimentos oculares. Esses são chamados de “pistas de acesso” – se associam ao uso de sistemas representacionais e os tornam mais fáceis de serem acessados.

Afunilando mais ainda, hoje quero tratar de algo muito sutil e curioso, que você poderá começar a observar hoje mesmo em qualquer interação que você estiver experienciando, vamos lá?

Por um momento, imagine que você está conversando com seu parceiro(a) e pergunta para ele o seguinte:

– Onde você estava?

Você então repara que para se recordar onde estava e narrar o que estava fazendo, ele direciona os olhos para cima e para direita e começa a dizer:

– Eu saí do escritório, peguei o carro e fui tomar uma cerveja com os amigos.

Aí você pergunta:

– E tinha alguma mulher (homem) junto?

A pessoa então olha para cima e para esquerda e começa a dizer quem estava no local:

– O Márcio, Rafa, Ciclano, Beltrano… (omite qualquer pessoa do sexo oposto).

BINGO! Há fortes indícios que a lista de pessoas dita pela pessoa tenha sido construída, pois a pista de acesso visual inicialmente era de alguém que estava recordando imagens, entretanto, na segunda pergunta, a pista utilizada era de quem estava CRIANDO imagens mentalmente.

Percebe a sutileza?

Agora eu vou colocar um exemplo prático para você de um caso que ficou famoso na mídia, mas que é muito fácil de perceber como essas pistas visuais foram importantes para estabelecer, no mínimo, a dúvida sobre as palavras que a Ré Flordelis pronunciava.

Sinais de Acesso Visual

IVC  – Imagem Visual Construída: Ver imagens de coisas nunca vistas antes, ou ver coisas diferentemente do que eram vistas antes. Perguntas que em geral elicitam essa espécie de processamento incluem “Como seria um hipopótamo cor de laranja com bolas púrpuras?” e “Como você se parecia do outro lado da sala?”

 

IVL – Imagem Visual Lembrada: Ver imagens de coisas vistas antes, e da maneira como foram vistas antes. Exemplos de perguntas que usualmente elicitam essa espécie de processamento incluem “Qual é a cor dos olhos de sua mãe?” e “Com o que se parece seu casaco?”

SC – Auditivo construído: Ouvir palavras nunca ouvidas realmente dessa maneira antes. Pôr sons e palavras juntas numa nova forma. Perguntas que tendem a eliciar essa espécie de processamento incluem “Se você fosse criar uma musica nova agora, como ela seria?” e “Imagine o som de uma sirene feito por uma guitarra elétrica”.

SL – Auditivo recordado: Lembrar sons ouvidos antes. Perguntas que usualmente elicitam essa espécie de processamento incluem “Qual foi a última coisa que eu disse?” e “Como é o alarme de seu despertador?”.

AD – Auditivo digital: Falar para si mesmo. Afirmações que tendem a elicitar essa espécie de processamento incluem “Dizer alguma coisa para si que frequentemente diz para si mesmo” e “Recitar o Compromisso de Fidelidade”.

C – Cinestésico: Sentir emoções, sensações táteis (sentindo de toque), ou sensações proprioceptivas (sensações de movimento musculares). Perguntas que elicitam essa espécie de processamento incluem “Como é a sensação de ser feliz”,”Qual é a sensação de tocar num pinhão?”, “Como é a sensação de correr?”.

Abaixo eu gravei um vídeo demonstrando na prática para você entender mais como esse processamento de informações, de memórias ou criação funcionam, assim você poderá entender melhor como praticar sua leitura.

Lembrando que o intuito aqui não é observar se ela está mentindo ou não no vídeo acima, mas sim apenas de te demonstrar como que com uma observação atenta dos Sinais de Acesso Visual é possível verificar se alguém está de fato LEMBRANDO de uma memória, ou está CONSTRUINDO (inventando) fatos, acontecimentos, conversas e etc.

Mas, caso você deseje em algum momento se prevalecer dessa metodologia para poder obter informações sobre os acessos visuais e assim verificar alguém está CRIANDO sons ou imagens a fim de obter de alguma vantagem a partir de uma MENTIRA, você agora conhece mais sobre esse assunto e pode fazer suas analises!

Esses conceitos você pode procurar direto na fonte se quiser, como no livro “Atravessando Passagens em Psicoterapia”, de John Grinder e Richard Bandler.

Ou então, você pode começar hoje mesmo no nosso curso Master de Hipnose Conversacional e PNL, aprendendo muito mais sobre esses assuntos e se tornando um verdadeiro perito tanto na observação, bem como a fim de hipnotizar uma pessoa.

Clique aqui para conhecer nossos materiais nessa promoção incrível!

No mais, obrigado por acompanhar nosso trabalho!

Um grande abraço.

Edu Vaz

Professor de Auto-Hipnose, Hipnose Clássica e Conversacional

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *